sexta-feira, janeiro 02, 2009

Metade da laranja


Então, eu sempre tive um certo temor de casamento. Porque eu sei que as pessoas enjoam umas das outras, acabam identificando maus hábitos e com o tempo eles acabam se tornando repulsivos.
Mas, lá dentro, bem lá dentro, eu guardava aquela pequena ilusão de que quando você encontra a pessoa certa, aquela que te faz um bem imenso... isso tudo iria passar. A ansiedade não ia pegar no pé por você ter medo de perdê-la, e sim, porque você em breve vai vê-la... mesmo que tenha passado a manhã inteira na cama, abraçando, vendo TV, dizendo que ama... quando ela vai embora, dá um aperto... daí as borboletas vêm... e quando ela volta, tudo fica melhor, mais gostoso, mais colorido.

Queria isso tanto quanto tinha medo de um dia conseguir e no outro perder.

Eu juro, juro que às vezes eu duvido do "pra sempre". Às vezes imagino coisas demais, fico viajando sobre o futuro e não tenho certeza de como vai ser. Ultimamente a minha única certeza, no entanto, é de que eu quero uma pessoa específica do meu lado. Sabe como é? Não consigo enjoar do sorriso, do abraço, das manhãs, de nada nadinha. Nem a longo prazo.

Isso me assusta tanto quanto me conforta... nunca foi desse jeito. Tão perfeito.

Em tempos anteriores, eu imaginaria isso como apenas sorte. Ainda iria amaldiçoar todas as ex-namoradas e pensar que tinha ganho na loteria. Elas que se fodam. Mas eu sei que não se trata apenas de sorte: é você ter o que merece. Depois de tanta merda que aconteceu... como eu mesmo achava que a vida era uma merda há exatamente dois anos. Hoje não. Não vou negar que eu tenho medo de que tudo isso vá embora, porque encaixa tão bem, porque é tão perfeito, que eu PRECISO disso a perder de vista.

Hoje eu não quero que ex-namorada nenhuma se foda; quero a felicidade a longo prazo pra mim e pros outros, então só desejo que todo mundo seja agraciado com os mesmos sorrisos que eu dou todos os dias. Com ele, eu juro que casaria sem medo algum.

Nunca é tarde para ser feliz!

Nenhum comentário: