quinta-feira, janeiro 08, 2009

F*cking ex-girlfriends

Mudei de idéia. Pelo menos momentaneante.
Eu quero sim que as ex-namoradas se fodam. Porque elas aparecem em todo o lugar, como baratas, formigas ou qualquer bicho nojento que se profilere sem o meu consentimento. Ainda que feias, ainda que tenham namorados atuais, ainda que estejam em outra cidade, ainda que proclamem não ter mais nenhum interesse no meu... man, não dá. Elas não me convencem. Elas sempre vêm com um jeitinho meloso, educado ao extremo, falando "oizinho" pelo msn, ou quando pior, achando que não tem problema algum em chamar o ex delas (a.k.a MEU atual) de coisas que elas julgam ser apenas "educação". Olha... agora virou educação chamar alguém de amor? Ótimo, então quando encontrar meu chefe ou um professor pela faculdade, vou chamá-los de amor.

(ia ser bizarro demais).

Em toda a história da humanidade eu só consegui ficar amiga de UMA ex-namorada de namorado. Mas porque as circunstâncias me obrigaram a isso. A garota simplesmente começou a namorar meu irmão, ou seja, virou minha cunhada. E não é muito saudável se indispor com cunhada, né? Experiência própria. Claro que quando o namoro deles terminou, nossa amizade também não ficou lá esses barés todos.

Eu sei que soa infantilidade, essas pobre coitadas são apenas pessoas (no meu caso, apenas meninas, jovens demais da conta pra bater boca) que passaram pela vida do namorado. Ninguém tá livre da possibilidade de um dia, sentar no banco das ex's ao lado delas. O negócio é que, enquanto eu to no jogo, eu não aceito nhenhenhem pro lado do meu namorado.

E tenho avisado. >:/

sexta-feira, janeiro 02, 2009

Metade da laranja


Então, eu sempre tive um certo temor de casamento. Porque eu sei que as pessoas enjoam umas das outras, acabam identificando maus hábitos e com o tempo eles acabam se tornando repulsivos.
Mas, lá dentro, bem lá dentro, eu guardava aquela pequena ilusão de que quando você encontra a pessoa certa, aquela que te faz um bem imenso... isso tudo iria passar. A ansiedade não ia pegar no pé por você ter medo de perdê-la, e sim, porque você em breve vai vê-la... mesmo que tenha passado a manhã inteira na cama, abraçando, vendo TV, dizendo que ama... quando ela vai embora, dá um aperto... daí as borboletas vêm... e quando ela volta, tudo fica melhor, mais gostoso, mais colorido.

Queria isso tanto quanto tinha medo de um dia conseguir e no outro perder.

Eu juro, juro que às vezes eu duvido do "pra sempre". Às vezes imagino coisas demais, fico viajando sobre o futuro e não tenho certeza de como vai ser. Ultimamente a minha única certeza, no entanto, é de que eu quero uma pessoa específica do meu lado. Sabe como é? Não consigo enjoar do sorriso, do abraço, das manhãs, de nada nadinha. Nem a longo prazo.

Isso me assusta tanto quanto me conforta... nunca foi desse jeito. Tão perfeito.

Em tempos anteriores, eu imaginaria isso como apenas sorte. Ainda iria amaldiçoar todas as ex-namoradas e pensar que tinha ganho na loteria. Elas que se fodam. Mas eu sei que não se trata apenas de sorte: é você ter o que merece. Depois de tanta merda que aconteceu... como eu mesmo achava que a vida era uma merda há exatamente dois anos. Hoje não. Não vou negar que eu tenho medo de que tudo isso vá embora, porque encaixa tão bem, porque é tão perfeito, que eu PRECISO disso a perder de vista.

Hoje eu não quero que ex-namorada nenhuma se foda; quero a felicidade a longo prazo pra mim e pros outros, então só desejo que todo mundo seja agraciado com os mesmos sorrisos que eu dou todos os dias. Com ele, eu juro que casaria sem medo algum.

Nunca é tarde para ser feliz!