quarta-feira, outubro 24, 2007

Every little thing he does, is magic

O que eu mais gosto é dessa simplicidade. Sorrisos sinceros. Não tem vergonha de andar de mãos dadas, elogia, abraça e beija em qualquer lugar... transmite uma tranqüilidade boa, uma sensação de “estou em casa”.

Ouve o que eu falo. E eu falo muito, sobre tudo. Ao me observar enquanto explico teorias, causos, experiências, opiniões, tudo articulando gestos, mãos, fazendo caras e bocas; simplesmente segura minha mão, fixa em meus olhos e fica calado. Como se estivesse deixando aquele mundo entrar aos poucos, e por sinal, adorasse isso.

Anda devagarzinho, sem pressa, pela maior avenida do País, onde tudo acontece a mais de mil por hora... O que importa ali, não são as bolsas de valores, os bancos milionários, os rostos apressados que passam a todo segundo, o frio cortante que queima a pele. O que importa é estar abraçado, contando os mesmos causos, experiências, opiniões e teorias; com a ressalva de que fala manso, explicado, vez por outra soltando um sorriso mais lindo que o outro.

O que faz eu me encantar são as pequenas coisas. Mesmo sabendo que não chego perto de uma figura real, trata-me como uma. Com direito a beijinhos na mão. Quando eu machuco meu pé, não admite de jeito nenhum que eu fique sentindo dor: me carrega nas costas. Aliás, qualquer desconforto causado à minha pessoa, seja dor, frio, fome... encara como se fosse um problema sério a ser resolvido. Não mede esforços para arrancar um sorriso.

Da madrugada fria, só restaram as poucas gotas de chuva que batiam no vidro. O que perdurou ali, na verdade, ultrapassou o tempo. Ele fala convicto de planos a serem feitos. Fala de saudade como se fosse o menor dos empecilhos mergulhados dentro dos sentimentos que borbulham dentro de si. Sabe, dentro de si, que os universos se encaixam, se completam, se somam. Por isso, a espera é apenas uma fase...

Cada ida machuca. Porque em pouco tempo, o espaço entre estes universos cresce, cresce e aumenta de tal forma que torna impraticável qualquer ato de carinho físico. Mas em um plano metafísico, ele continua...

posted by: Loy*

The sun and moon rise in his eyes...