sexta-feira, dezembro 29, 2006

Garotas simples X Garotas complicadas

Assisti semana passada “The Way We Were”. Claro que assisti sozinha, afinal este é um filme para “meninas”.

Fiquei enebriada pela melancólica história. E depois de enxugar algumas lágrimas vendo o final, não pude parar de pensar em tudo aquilo de que trata a trama.
Tive uma revelação, do tipo Carrie Bradshaw em Sex and the City (não vou negar que uma das razões pela qual aluguei o filme, que não é nenhum lançamento, foi a menção que ela fez dele no seriado).
Existem dois tipos de mulheres no mundo: as simples e as Katie’s.
As garotas simples são as melhores esposas, melhores donas de casa, pessoas super compreensíveis, sociáveis e que aparentemente se dão bem com todo mundo. Reclamar é o último verbo da lista destas mulheres. Sempre sorridentes, tudo está ótimo! (ou pelo menos é essa impressão que elas me passam). São pessoas simples em um geral. Não digo nem no quesito financeiro, mas a vida para elas é demasiadamente descomplicada e não há motivos para maiores reclamações. Paz, sempre paz... relaxar, curtir a vida. Sem maiores pretensões além destas.
Agora, as Katie’s são outra história...
Hubbell Gardner era completamente apaixonado pela Katie Morovksy em “The Way We Were”. Ela era uma revolucionária, politizada, reclamona, bate-pé, causuísta e idealista. Tinha um cabelo enorme todo enrolado e era uma pessoa difícil de lidar, pelo menos era o que pensava Hubbell e seus amigos.
O fato é que mulheres como Katie são o que eu chamo de mulher de verdade. Frequentemente, estas são as mulheres que têm as melhores idéias, que têm atitude, trabalham, dizem o que pensam e se recusam a sorrir em uma sala cheia de pessoas que só fazem piadas idiotas para ter algo para falar. São mulheres inteligentes, espertas, que sabem o que querem e não têm medo de parecem um pé no saco quando reclamam de alguma coisa que não as satisfaz ou que elas acham estar errado.Eu definitivamente devo dizer que sou uma Katie.
E francamente, os homens deveriam amar este tipo de mulher...
De qualquer forma, apesar toda essa coragem que temos dentro de nós, (nós, Katie’s) nos vemos frequentemente em situações nas quais não nos encaixamos. Não estou falando daquela sala cheia de pessoas idiotas que mencionei antes. Digo que quando o amor bate à nossa porta, parece ser um momento único.
De repente, isto é a melhor coisa que já poderia ter acontecido com a gente! De repente, as noites que passamos sozinhas em nossos quartos, ouvindo a música que amamos (e que provavelmente muita gente reclama por não entender nosso gosto único), vendo aqueles filmes que amamamos, tudo parece... sem sentido.
E então tudo que pensamos é em estar com o cara. Depois de um tempo, a gente nem reconhece mais tudo aquilo que foi e que tanto amava ser... nossas características únicas que nos definiam como pessoa.
Desculpe, odeio fazer comparações, mas uma das minhas melhores amigas simplesmente não consegue perceber que isso acaba com a gente e que está acabando com ela também. Amiga, quando você vai perceber que isso não tem futuro? Você só está adiando um sofrimento que será muito maior daqui um tempo... desculpe a sinceridade, mas mais do que eu, você sabe que falo é real.
Sabe por que? Porque somos demais para certas pessoas. Quando eles nos conheceram, já éramos demais, certo? Até tínhamos nome de heroínas, as supernovagirls! Mas ainda assim deixamos eles nos moldarem. Eu, me reinventar por conta de outro alguém? Não acho que tenho mais forças para tal. E outra...
No fim das contas, eles preferem as garotas simples. Hubbell preferiu a garota simples após deixar Katie, mesmo sabendo que atingiu seu auge quando estava com aquela que era uma mulher de verdade e que queria que ele fosse um homem melhor. Potencial ele tinha, só faltava agir, e era isso que ela queria que ele fizesse. Não, não eram reclamações à toa. Peraí, estou tendo um dèja vu...
De qualquer jeito, eu sou uma Katie. Só falta, daqui a um tempo (God knows when), achar um cavalo selvagem que queira correr junto comigo, sem querer me domar.

Have a good life, Hubbell.

posted by: Loy*

Um comentário:

Renata Paula disse...

mas, se vc quiser um STATUS ok, vc vai ter o status!

nway!

bom texto..

adorei a parada do cavalo.. aachei lindo mesmo!


beijo mana!..